Ibama rastreia todos os garimpos ilegais na floresta amazônica

Fonte : El País / Fotos: RICARDO MORAES REUTERS)

A proliferação de minas ilegais de ouro ou cassiterita tornou-se uma epidemia na floresta tropical brasileira. O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) lançou uma campanha para reprimir atividades em todas as minas ilegais da floresta amazônica O projeto do Ibama rastreia todas as minas ilegais na floresta amazônica, que se estende por Brasil, Venezuela, Colômbia, Peru, Equador e Bolívia. Na foto, uma vista aérea de uma mina ilegal de cassiterita nos parques nacionais de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 4 de novembro de 2018.

 1O projeto do Ibama rastreia todas as minas ilegais na floresta amazônica, que se estende por Brasil, Venezuela, Colômbia, Peru, Equador e Bolívia. Na foto, uma vista aérea de uma mina ilegal de cassiterita nos parques nacionais de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 4 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Essas informações são coletadas através de operações de mapeamento, como parte da proteção realizada pelo Ibama em conjunto com outras associações ambientais. Na foto, um helicóptero do Ibama sobrevoa uma mina de ouro ilegal durante uma operação nas proximidades do município brasileiro de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 5 de novembro de 2018.

 2Essas informações são coletadas através de operações de mapeamento, como parte da proteção realizada pelo Ibama em conjunto com outras associações ambientais. Na foto, um helicóptero do Ibama sobrevoa uma mina de ouro ilegal durante uma operação nas proximidades do município brasileiro de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 5 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

 3Somente na Amazônia brasileira, 453 minas ilegais foram classificadas, de acordo com dados publicados pelo Ibama. Na imagem, uma vista aérea de uma das minas de ouro ilegais da floresta amazônica brasileira, nos parques nacionais de Novo Progresso, em 5 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS
 

Somente na Amazônia brasileira, 453 minas ilegais foram classificadas, de acordo com dados publicados pelo Ibama. Na imagem, uma vista aérea de uma das minas de ouro ilegais da floresta amazônica brasileira, nos parques nacionais de Novo Progresso, em 5 de novembro de 2018.

   garimpo 4

Em novembro, foram realizadas operações em várias minas ilegais em dois parques nacionais da Amazônia brasileira. Quando os helicópteros do Ibama desceram para realizar o ataque, alguns dos mineiros fugiram para as profundezas da selva. Na imagem, é visto como os mineradores saem de uma mina de cassiterita ilegal após serem avisados sobre a chegada dos agentes durante uma operação do Ibama, em Novo Progresso, em 4 de novembro de 2018.

Um agente do Ibama inspeciona uma mina de ouro ilegal na Amazônia, em Novo Progresso, no dia 5 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Um agente do Ibama inspeciona uma mina de ouro ilegal na Amazônia, em Novo Progresso, no dia 5 de novembro de 2018. Logo depois, cerca de seis pessoas foram presas. O objetivo real das autoridades não trata dos mineiros, que em muitos casos trabalham em condições de escravidão, mas dos donos das minas ilegais, cuja identidade é desconhecida.

Logo depois, cerca de seis pessoas foram presas. O objetivo real das autoridades não trata dos mineiros, que em muitos casos trabalham em condições de escravidão, mas dos donos das minas ilegais, cuja identidade é desconhecida. RICARDO MORAES REUTERS

Um acampamento de mineiros em uma mina de ouro ilegal em Novo Progresso, em 5 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Nestas operações, os agentes destroem o maquinário das minas, principalmente escavadeiras e outras máquinas pesadas, geralmente caras e difíceis de substituir, a fim de cessar as atividades nessas minas ilegais. Na foto você pode ver uma escavadeira em chamas em uma mina de cassiterita ilegal, durante uma operação do Ibama no município de Novo Progresso (Estado do Pará), em 4 de novembro de 2018.

Nestas operações, os agentes destroem o maquinário das minas, principalmente escavadeiras e outras máquinas pesadas, geralmente caras e difíceis de substituir, a fim de cessar as atividades nessas minas ilegais. Na foto você pode ver uma escavadeira em chamas em uma mina de cassiterita ilegal, durante uma operação do Ibama no município de Novo Progresso (Estado do Pará), em 4 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Uma cozinha improvisada em um acampamento ilegal de mineração, no município de Novo Progresso, em 5 de novembro de 2018.

Uma cozinha improvisada em um acampamento ilegal de mineração, no município de Novo Progresso, em 5 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Incêndio controlado em mina ilegal de ouro nos parques nacionais de Novo Progresso, durante operação realizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), em que máquinas e diversos acampamentos foram destruídos em uma mina ilegal de ouro.

Incêndio controlado em mina ilegal de ouro nos parques nacionais de Novo Progresso, durante operação realizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama), em que máquinas e diversos acampamentos foram destruídos em uma mina ilegal de ouro. RICARDO MORAES REUTERS

A mineração ilegal polui a água das comunidades locais com mercúrio e contribui para o desmatamento. Na imagem, uma mina de cassiterita ilegal nos parques nacionais de Novo Progresso, realizada durante uma operação do Ibama em 4 de novembro de 2018.

A mineração ilegal polui a água das comunidades locais com mercúrio e contribui para o desmatamento. Na imagem, uma mina de cassiterita ilegal nos parques nacionais de Novo Progresso, realizada durante uma operação do Ibama em 4 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Um agente do Ibama patrulhando uma mina de cassiterita ilegal durante uma operação em parques nacionais nas proximidades do município de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 4 de novembro de 2018.

Um agente do Ibama patrulhando uma mina de cassiterita ilegal durante uma operação em parques nacionais nas proximidades do município de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 4 de novembro de 2018. RICARDO MORAES REUTERS

Um agente do Ibama patrulhando uma mina de cassiterita ilegal durante uma operação em parques nacionais nas proximidades do município de Novo Progresso, no Estado do Pará, em 4 de novembro de 2018.