Moradores e vice-prefeito vão para porta da Águas de Novo Repartimento e reclamam a falta de água

Fonte : Zedequias Silva

 

Não é de hoje, o problema da falta de água que abastece as torneiras dos moradores do município de Novo Repartimento, o descaso fez com que um grupo de pessoas e o vice-prefeito, Alexandre Guimarães, estivessem na sede da Empresa Águas de Novo Repartimento, na tarde desta quarta-feira (5).

O grupo foi recebido pelo responsável da empresa no município, Paulo, que disse que o motivo da privação do abastecimento foi ocasionado pela falta do produto químico que faz o tratamento d’água, e que o problema não tinha uma data certa para se resolver, já que, a empresa está devendo o fornecedor do produto, e que este só iria liberar o produto após o pagamento da dívida.

Alexandre Guimarães se comprometeu a comprar o produto até a empresa resolver a situação e fez a transferência da quantia de 7 mil, quatrocentos e noventa e quatro reais, que vai garantir durante (30) dias, água nas torneiras dos repartimentenses. Ficou acertado que o vice-prefeito irá agendar uma reunião com o Prefeito Deusivaldo, o “Amizade”, para que seja tomada providências quanto a um decreto destratando o contrato com a empresa e a recontratação dos trabalhadores para que o serviço não seja afetado, ao ouvir de populares que estão pagando a mensalidade a Concessionária e não tem água em casa, Alexandre, orientou que não fizessem nenhum pagamento, pois ninguém é obrigado a pagar por um serviço que não está sendo prestado, o abastecimento será normalizado até sábado (8).

Entenda

A situação piorou depois que a gestão anterior, tirou da estatal Cosanpa, o monopólio do serviço e fez a concessão dos serviços de abastecimento de água e esgoto sanitário, do município, no ano de 2015. A Empresa Kullinan Engenharia e Construção Ltda com sede na Capital do Mato Grosso, Cuiabá, foi a ganhadora e ficou responsável por fazer a operação do sistema, a conservação, manutenção, modernização, ampliação e comercialização dos serviços explorados, fazer a cobrança direta aos usuários pelos serviços prestados pelo período de 30 anos, que poderiam ser prorrogado por mais 30 anos. Com a saída da Cosanpa, a empresa se instalou no município em 2017, depois que foi acionada na justiça pela Procuradoria do município.

Ainda no ano de 2017, dois requerimentos foram aprovados na Câmara de vereadores, solicitando que o Prefeito Deusivaldo Pimentel, “o Amizade”, fizesse o destrato do contrato com a empresa, que foi notificada judicialmente, e se manifestou não ter mais interesse em prestar o serviço no município, enquanto a situação não se resolve, foi estipulada uma multa diária no valor de 50 mil reais para a empresa.