Segunda etapa de vacinação contra febre aftosa inicia em novembro

Fonte : Adepará

 

A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) iniciará no dia 1º de novembro, a  segunda etapa da Campanha de Vacinação Contra a Febre Aftosa  que visa vacinar  animais bovinos e bubalinos de 0 a 24 meses em todo o território paraense , com exceção do Arquipélago do Marajó e dos municípios de Faro e Terra Santa que possuem etapas específicas de  vacinação. A Adepará pretende alcançar a meta de imunizar 100 % do rebanho nesta faixa etária  até o dia 30 de novembro.

O produtor é o responsável pela vacinação, e tem até o dia 15 de dezembro para fazer a comunicação da vacina nos escritórios da Agência.  Ele  deve  se   dirigir aos  escritórios da ADEPARÁ para atualizar os dados cadastrais, sob pena de também ficar inadimplente.   O cadastro deve ser atualizado inclusive pelo produtor que não  possui  rebanho na faixa etária de 0 a 24 meses.

"A Adepará fiscalizará  propriedades rurais com o objetivo de fazer vigilâncias epidemiológicas e também para certificar a vacinação, acompanhando a vacinação de todo ou uma parte do rebanho. Essa estratégia será por meio de sorteios das propriedades participantes, sendo os produtores avisados. Isso faz parte da meta do Programa nacional de Erradicação da Febre Aftosa e devemos fiscalizar, aproximadamente 2.445 propriedades nos 128 municípios participantes desta etapa." explica George Francisco Souza Santos - Gerente do Programa de Erradicação da Febre Aftosa no Estado do Pará.

O Pará é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde Animal como Estado livre da febre aftosa com vacinação desde 2014. Agora, começa a dar os primeiros passos para se tornar área livre da doença sem vacinação até 2020. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) já apresentou o plano para retirada da vacina em todo o País, e até 2023 o Brasil deve conquistar o status de zona livre da aftosa sem vacinação.

A campanha deve imunizar 8.135.023  milhões de cabeças, em  104.723 propriedades espalhadas por 128 municípios paraenses. O status de livre da aftosa sem vacinação vai permitir que o recurso, que antes era gasto com as etapas de vacinação, seja utilizado em fiscalização e controle, em uma proporção muito maior. Isso possibilitará a abertura de mercados e oportunidades para o Estado exportar animais, seus produtos e subprodutos.

O rebanho do Pará é o quinto maior do Brasil, com mais de 21 milhões de cabeças, com 110 mil produtores e pecuaristas cadastrados na Adepará, o que demonstra a importância do setor para a economia local e nacional e, como consequência, o fortalecimento das ações de defesa sanitária. A febre aftosa é a principal barreira sanitária do mundo, e a exportação de cortes bovinos é o principal item da pauta estadual no setor de carne.

O Pará livre da febre aftosa sem vacinação vai garantir a abertura de mercados em todo o mundo, já que a população paraense consome apenas 30% da produção de carne bovina do Estado. Os outros 70% são destinados à exportação. Alguns países, como Japão, não importam carne de países que ainda vacinam.

Para que o rebanho fique protegido contra a aftosa, os criadores devem ter os seguintes cuidados:

  • Comprar as vacinas somente em lojas registradas na ADEPARÁ
  • Verificar se as vacinas estão na temperatura correta: entre 2° C e 8° C
  • Para transportá-las, usar uma caixa térmica, colocar três partes de gelo para uma de vacina e lacrar com fita adesiva
  • Manter a vacina no gelo até a finalização da aplicação em todos os bovinos e bubalinos.
  • Escolher as horas mais frescas do dia e reunir o gado. Lembrar que só devem ser vacinados bovinos e bubalinos
  • Durante a vacinação, manter a seringa e as vacinas na caixa térmica e usar agulhas novas de preferência do tamanho 15mm por 18mm, limpas
  • Lembrar que a higiene e a limpeza são fundamentais
  • Agitar o frasco antes de usar e aplicar a dosagem certa em todos os animais: 5 ml
  • Aplicar na tábua do pescoço, embaixo da pele, com calma
  • Preencher a declaração de vacinação e entregá-la no serviço veterinário oficial do estado junto com a nota fiscal de compra das vacinas

Produtor, não esqueça, vacine de 01 a 30/11/2018 e comunique a ADEPARÁ até 15/12/2018. Vamos manter o Pará livre da Aftosa!