Caso Doroty: Ministro manda soltar Regivaldo Galvão

Fonte : TJ-PA

Liminar suspende efeitos de execução provisória da sentença

O juiz Raimundo Moisés Alves Flexa, titular da 2ª. Vara do Tribunal do Júri de Belém recebeu comunicação do Supremo Tribunal Federal, na manhã desta sexta-feira, 25/05, dando conhecimento do deferimento de liminar em Habeas Corpus, pelo ministro Marco Aurélio de Mello, em favor de Regivaldo Pereira Galvão, condenado pela Justiça paraense como mandante da morte da missionária Dorothy Stang. O ministro concedeu a liberdade até julgamento de mérito do referido Habeas Corpus pelo STF.

Com a decisão do ministro, tomada no final da tarde de ontem, 24, o pecuarista deverá ser libertado nas próximas horas. Logo após receber a comunicação da Corte Suprema, o juiz determniou a expedição do alvará de soltura e enviou on line à Comarca de Altamira, para cumprimento da decisão superior.

Regivado Galvão foi condenado a 30 anos de reclusão pelo Júri Popular, que o considerou culpado pela morte da missionária Dorothy Stang, crime cometido em 12 de janeiro de 2005, no Município de Anapu. A vítima foi atingida por seis disparos de arma de fogo. O réu cumpre execução provisória da pena no Centro de Recuperação de Altamira, desde setembro.